Menu2

terça-feira, 7 de junho de 2016

CENTRO HISTÓRICO DE LISBOA



DIA 1 – CENTRO HISTÓRICO DE LISBOA

Parque Eduardo VII


Vale a pena subir a colina e chegar até à parte de cima do parque para ter uma vista privilegiada do Miradouro sobre toda a cidade de Lisboa. Daí conseguirá ver a estátua do Marquês de Pombal (responsável pela reconstrução da cidade depois do Grande Terramoto de 1755); do lado esquerdo o Castelo de São Jorge; do lado direito o famoso Bairro Alto; e ao fundo o Rio Tejo.

O Parque recebeu este nome em 1903 em homenagem ao Rei Eduardo VII do Reino Unido, como forma de celebrar as relações entre os dois países. No miradouro ainda existe o monumento ao 25 de Abril 1974, polémico por ter uma sua estrutura fálica que jorra água para a fonte.

Marquês do Pombal e Avenida da Liberdade

A rotunda do Marquês de Pombal e desça pela Avenida da Liberdade.
Nesta Avenida da Liberdade estão as lojas de grandes marcas como Emporio Armani, Luis Vuitton, etc.
Praça dos Restauradores, que tem um grande obelisco erguido para celebrar a libertação de Portugal do domínio espanhol em 1640, daí o nome Restauradores (da Liberdade e da Independência). Nesta praça está também o famoso Hard Rock Café Lisboa, o Antigo Teatro Eden e o Elevador da Glória.
Nesta Praça tem o Elevador da Glória, que é um eléctrico que faz o trajecto colina acima, muito íngreme, ligando assim a “baixa lisboeta” ao Bairro Alto. Este “elevador” foi construído em 1885 e está funcional até hoje, por isso é uma experiência tipicamente alfacinha.
Saindo do elevador, vire logo à sua direita. Está no Jardim e Miradouro de São Pedro de Alcântara, onde terá uma vista magnífica sobre a baixa lisboeta e o espaço é excelente para um merecido descanso.

Bairro Alto
Bem-vindo ao Bairro Alto, um dos bairros mais antigos de Lisboa.
Dentro do Bairro Alto não há só um caminho a seguir. É uma experiência que cada um constrói de acordo com os interesses, as lojas e espaços que vai encontrando pela frente. Aconselho é que siga sempre a descer (pela Rua Atalaia, Rua do Norte, Rua do Diário de Notícias, Rua da Rosa ou Rua das Gáveas). Qualquer uma destas ruas irá levá-lo à Praça Luís de Camões.

Praça de Camões e Largo do Chiado

Praça de Camões
Largo do Chiado. 
Espaços mais míticos da cidade de Lisboa. É aqui que encontrarão a estátua do poeta António Ribeiro, homenageado nesta Praça; o mais famoso café lisboeta: a Brasileira (fundada em 1905 e centro intelectual, artístico e literário); e a estátua em bronze do escritor Fernando Pessoa, que era presença constante d’A Brasileira. 


Largo do Carmo e Convento do Carmo




Desce pela Rua Garrett e na segunda rua da esquerda suba (Calçada do Sacramento). Vai chegar ao Largo do Carmo. Neste largo estão as ruínas do Convento do Carmo, construído no século XIV, que foi parcialmente destruído pelo Grande Terramoto de 1755 e onde se encontra actualmente o Museu Arqueológico do Carmo.
Elevador de Santa Justa Este Elevador foi inaugurado em 1902 e tem cerca de 30 metros de altura. Já no alto do Elevador existe um Miradouro fantástico que dá as melhores fotos de toda a Baixa-lisboeta, do Castelo de São Jorge e do Rio Tejo.

Desça no Elevador já estará na Rua de Santa Justa. Siga em frente e após dois pequenos quarteirões vai cruzar a Rua Augusta, a famosa rua que foi, durante séculos, a principal entrada de Lisboa e tem na sua extremidade o Arco da Rua Augusta. A Rua tem uma elevada concentração de comércio, com diversas lojas de souvenirs e de grandes marcas internacionais.


Rossio

Virando à esquerda, no sentido contrário ao arco, vamos em direcção à Praça do Rossio. Esta grande Praça chama-se na realidade Praça de D. Pedro IV, destaca-se pelas suas duas grandes fontes de água (uma de cada lado), a imponente estátua de D. Pedro IV e pelo seu piso em padrões de ondas feito em pedras pretas e brancas. No lado norte da praça fica o Teatro Nacional D. Maria II, assim chamado por ser o nome da filha de D. Pedro.

Ao lado esquerdo do Teatro D. Maria II está a incrível Estação Ferroviária do Rossio. Visitar a estação ver os Azulejos do Mestre Lima de Freitas sobre a origem de Lisboa e a sua história mística.



Bairro de Alfama e Castelo de S. Jorge

Da Praça da Figueira pode entrar em Alfama (o bairro mais antigo de Lisboa), para chegar ao Castelo de São Jorge.
Chegamos ao Castelo de São Jorge. A vista do alto do Castelo é fantástica e poderá tirar fotos com estátuas, canhões e ter acesso ao alto das torres.




 

Belém e Mosteiros dos Jerónimos

Situa-se aqui o Palácio de Belém e o Museu Nacional dos Coches, onde estão as antigas carruagens das famílias reais portuguesas e de outras personalidades, como a carruagem do Papa.
Não esquecer a famosíssima Pastelaria de Belém, onde são confecionados os famosos e únicos Pastéis de Belém.
 Mosteiro dos Jerónimos. A arquitectura manuelina do Mosteiro merece muitas fotos, onde irá encontrar os túmulos  “diz-se” de Vasco da Gama, Luís Vaz de Camões e de outros reis e rainhas portugueses. Ainda no Mosteiro, poderá visitar o antigo Claustro dos Jerónimos e ter acesso ao bonito jardim, salas e ao coro alto da Igreja. Dentro do claustro está também o túmulo de escritor Fernando Pessoa.

Em frente ao Mosteiro está a Praça do Império, um jardim muito bonito e cuidado, com uma enorme fonte, e também o Centro Cultural de Belém, onde acontecem eventos artísticos e culturais. Na extremidade da praça o Padrão do Descobrimentos, inaugurado em 1960 para homenagear os elementos envolvidos no processo dos Descobrimentos portugueses.

A Torre de Belém foi construída, mesmo dentro do rio Tejo, A Torre foi concluída em 1520 e era utilizada como um forte de vigia que impedia que embarcações não autorizadas entrassem na cidade de Lisboa.

PARQUE DAS NAÇÕES (EXPO)

O Parque das Nações é o actual nome da zona de Lisboa onde foi feita a grande Exposição Mundial de 1998.
Tudo o que se vê no Parque das Nações foi construído de propósito para a realização da Expo 98, criando assim uma Lisboa moderna e que contrasta totalmente com o turismo das zonas históricas da cidade. A sua arquitectura contemporânea, os espaços de convívio e todo o projecto de urbanização e requalificação urbana trouxeram nova dinâmica à zona oriental da cidade de Lisboa que, em 1990, ainda era uma zona industrial.
Oceanário de Lisboa.
No Parque das Nações que está o Casino Lisboa, o mais famoso da cidade.
Teleférico da Expo sobre o rio Tejo, e que atravessa o Parque das Nações de uma ponta a outra, com uma magnífica vista panorâmica, por um percurso de quase um quilómetro.




Sem comentários:

Publicar um comentário